Princípios do Treinamento Físico

Publicado  terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

TREINAMENTO FÍSICO




Constitui-se pelos métodos e processos de treino, utilizados de forma sequencial em obediência aos princípios da periodização e que visam a levar o atleta ao ápice de sua forma física específica, a partir de uma base geral ótima (DANTAS, 2003). Verchoshanskij (1998) conta que o aumento constante do potencial motor e a melhoria da capacidade do indivíduo de utilizá-lo eficazmente, deve ser considerada a variável principal no processo de treinamento.


Princípios do treinamento físico:

Princípio da individualidade biológica: Segundo Monteiro, as diferenças existentes entre as pessoas quanto à carga genética (genótipo) e às experiências adquiridas após o nascimento (fenótipo) caracterizam a individualidade biológica. O respeito à individualidade biológica é o primeiro passo para a prescrição de um programa de exercícios seguro e coerente de acordo com a condição física de cada indivíduo.

Princípio da sobrecarga: é o aumento progressivo na carga de trabalho, a partir do momento em que o indivíduo adapta-se a essa carga para a melhoria da aptidão física. A sobrecarga pode ser aplicada em duas situações distintas, no volume ou na intensidade (MONTEIRO, 2002). 

Princípio da adaptação: para que este princípio seja entendido é preciso que se compreenda o conceito de homeostase  estado de equilíbrio instável mantido entre os sistemas constitutivos do organismo vivo, e o existente entre este e o meio ambiente. 

Princípio da continuidade e reversibilidade: O organismo adapta-se a um nível habitual de solicitação, onde os efeitos do treinamento revertem-se, caso o indivíduo torne-se mais inativo (MONTEIRO, 2002).


Princípio da especificidade: este princípio tem muita inter-relação com o princípio da individualidade biológica. Ele diz que as adaptações que ocorrem no corpo humano, decorrentes da atividade física, são específicas daquele determinado programa de exercícios. O tipo de contração muscular, a velocidade, o ângulo de execução e a amplitude do movimento, a sinergia entre os músculos, a sequência de movimentos, a postura, os sistemas energéticos, todos devem apuradamente refletir a ação que o atleta realiza durante a competição, ou que o indivíduo realiza numa atividade da vida diária.

Formas Metabólicas

Publicado  segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

AERÓBIOS E ANAERÓBIOS




Todo mundo fala sobre exercícios aeróbios e anaeróbios, mas o que significam esses termos? Aeróbio ou anaeróbio está ligado ao tipo de metabolismo energético que está sendo utilizado preferencialmente. Isto não tem relação com os efeitos salutares dos exercícios. Ambos os tipos de exercícios podem ser de intensidade leve, moderados ou forte.

No exercício aeróbio o oxigênio funciona como fonte de queima dos substratos que produzirão a energia transportada para o músculo em atividade. O exercício aeróbio é um exercício de longa duração, contínuo e de baixa e moderada intensidade. Estimula a função dos sistemas cardiorrespiratório e vascular e também o metabolismo, porque aumenta a capacidade cardíaca e pulmonar para suprir de energia o músculo a partir do consumo do oxigênio (daí o nome aeróbio).

São exemplos de exercícios aeróbios: Caminhar, correr, andar, pedalar, nadar, dançar. Estes exercícios utilizam vários grupos musculares ao mesmo tempo. Nestes exercícios, a duração dos movimentos influencia mais do que a velocidade para caracterizar se a atividade é suave, moderada ou exaustiva.

O exercício anaeróbio utiliza uma forma de energia que independe do uso do oxigênio, daí o termo anaeróbio. É um exercício de alta intensidade e curta duração. Envolve um esforço intenso realizado por um número limitado de músculos e há produção de ácido lático.

São exemplos de exercícios anaeróbios os exercícios de velocidade com ou sem carga, de curta duração e alta intensidade, como a corrida de cem metros rasos, os saltos, o arremesso de peso. Exercícios de força ou exercícios resistidos, com peso como a musculação também é considerada um exercício anaeróbio.

Os movimentos que realizamos no nosso dia-a-dia são um misto de atividades físicas aeróbicas e anaeróbicas.
Sempre citamos que um programa completo de exercícios deve apresentar os dois tipos de atividade física, para melhorar a resistência cardiorrespiratória, fortalecer músculos, desacelerar a perda de massa muscular e evitar a perda de massa óssea, além de muito alongamento para manter e melhorar a flexibilidade muscular.

Para perda de gordura corporal, ambos os exercícios (aeróbios e anaeróbios) produzem efeitos, pois ambos irão acelerar o metabolismo. Mas, o ideal é associar estes dois tipos de exercícios a dieta alimentar.

Os exercícios físicos terão a função de acelerar o metabolismo. A dieta, de produzir um pequeno déficit calórico, obrigando o organismo a metabolizar as reservas de gordura.

Do ponto de vista de substratos energéticos metabolizados durante o exercício, apenas o exercício aeróbio pode metabolizar gorduras para a produção de energia necessária ao esforço físico. Entretanto, esta quantidade é extremamente baixa em vista das quantidades necessárias em um processo de perda de gordura corporal.

Além disso, a maior queima de gorduras ocorre durante o período pós-exercício, fenômeno chamado "after burning", que representa a queima de calorias que temos após o exercício. Tanto o exercício aeróbio, quanto o anaeróbio acarretam o "after burning". Mas este processo tem maior amplitude após sessões anaeróbias.


Atividade Física

Publicado  terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Atividades Físicas

Atividades físicas são os movimentos corporais produzidos pelos músculos esqueléticos, que tem como resultado um gasto de energia maior do que os níveis de repouso. Sendo assim, não são apenas os exercícios praticados dentro de uma academia, ou durante uma corrida, eles estão presentes no nosso dia-a-dia ao varrer a casa, ao caminhar até a parada de ônibus...é importante tentar integrar de uma forma mais abrangente a vida diária às atividades físicas, por exemplo: utilizar as escadas ao invés do elevador, passear com o cachorro, ir ao supermercado a pé, fazer jardinagem, entre outras formas.

Para que as atividades físicas se tornem mais benéficas e realmente melhorem a qualidade de vida, é ideal ter um tempo reservado para exercícios físicos de uma forma mais direcionada, como caminhada, musculação, natação etc. A atividade física é fundamental para todos, independente da idade, e quando combinada com uma boa alimentação saudável, é possível garantir um corpo saudável e um grande bem-estar.

Importância das Atividades Físicas
 
As atividades físicas, sem dúvida alguma proporcionam uma alta qualidade de vida. Praticar exercícios regularmente ajuda a manter uma boa saúde mental e corporal, em qualquer idade.
  
Mas infelizmente essa não é a realidade que estamos vivendo, ao mesmo tempo que existem pessoas preocupadíssimas com a alimentação e com o corpo, existem outras que se entregam cada vez mais ao sedentarismo. Pesquisas afirmam que mais de 60% dos adultos que vivem em áreas urbanas, não praticam exercícios regurlamente. É possível observar um grande índice de aumento do sedentarismo, e consequentemente da obesidade, que está diretamente ligado ao estilo da vida moderna.

Hoje os exercícios estão cada vez mais reduzidos, por conta da tecnologia que substitui práticas que antes dependiam do nosso esforço, e também pelo tempo, que é cada vez mais acelerado, as refeições precisam ser mais rápidas, e o tempo para as atividades físicas é substituído pela televisão, computador, video-game etc.


Benefícios das atividades físicas




As atividades físicas são benéficas para todo o organismo, a começar pela importantíssima função de fortalecer os ossos, articulações, e músculos, proporcionando uma melhor resistência, flexibilidade, equilíbrio corporal, agilidade, e principalmente, um bom condicionamento físico, melhorando as condições de funcionamento do sistema cardiorrespiratório.

A qualidade de vida é muito maior quando se tem o hábito de praticar exercícios, pois aumenta a disposição, a facilidade para certas coisas, melhora o sono, a alimentação, o humor, o aspecto da pele, ajuda na superação de limites, na vida sexual, entre outros milhares de benefícios. 

Outro fator muito importante, é o controle ou a perda de peso e a redução da gordura corporal através dos exercícios físicos. Pessoas com o peso inadequado, e com um alto índice de gordura possuem grandes riscos de contraírem graves doenças, principalmente as cardiovasculares. 


Os exercícios físicos são importantes também para tratar ansiedade, depressão, auto-estima e até para o tratamento de abstinência de drogas. Realizar essas atividades é uma alternativa saudável para que o corpo e a mente, vá eliminando aos poucos a necessidade de determinada substância.

Esteroides Anabolizantes

Publicado  segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

O que são esteróides anabolizantes?


Os esteroides anabolizantes são variações sinteticamente produzidas do hormônio natural masculino testosterona. Tanto homens quanto mulheres produzem testosterona. A nome completo dessa classe de drogas é esteróides (classe de droga), anabolizantes (construtor de tecido) androgênicos (promove características masculinas).

Por que algumas pessoas fazem uso indevido de esteróides anabolizantes?
Os esteróides anabolizantes têm uso indevido por bodybuilders, atletas e fanáticos pela aparência musculosa que acham que assim ganham vantagem competitiva ou melhoram a aparência física. Esteróides têm o propósito de aumentar a massa muscular, força e agressividade. Como efeito, algumas pessoas fazem uso dos esteróides anabolizantes para aumentar o tamanho dos músculos e força, o que alguns acreditam também melhoraria a aparência. Médicos podem receitar esteróides com propósitos legítimos como para a perda da função dos testículos, câncer de mama, baixa quantidade de células vermelhas sanguíneas, puberdade atrasada, e estados debilitantes decorrentes de cirurgia ou doença.
Efeitos adversos do uso de esteróides anabolizantes
Aqueles que fazem uso de esteróides anabolizantes ficam vulneráveis a efeitos adversos, muitos dos quais são irreversíveis. Os efeitos adversos a curto-prazo do uso de esteróides anabolizantes são conhecidos. Entretanto, os efeitos a longo prazo ainda não são bem estudados.Efeitos adversos para homens:
* Calvície.
* Desenvolvimento de mamas (ginecomastia).
* Ereções doloridas.
* Encolhimento dos testículos.
* Perda da função dos testículos.Efeitos adversos para mulheres:
* Crescimento de pelos na face e corpo.
* Engrossamento da voz.
* Redução dos seios.
* Aumento da clitóris.
* Irregularidades menstruais.Efeitos adversos tanto para homens como para mulheres:
* Acne.
* Retenção de fluidos.
* Icterícia.
* Crescimento interrompido em adolescentes.
* Elevação dos níveis do colesterol ruim.
* Diminuição dos níveis de colesterol bom.
* Alterações de humor.
* Sentimento de hostilidade aumentado.

Esteróides anabolizantes e doping
O Comitê Olímpico Internacional e a maioria das ligas esportivas profissionais bane o uso de esteróides anabolizantes, tanto por causa dos seus efeitos adversos potenciais, quanto pela vantagem desonesta proporcionada pelo doping. Os precursores de esteróides também são substâncias banidas. Há testes regulares anti-doping que detectam o uso de esteróides anabolizantes.O que fazer caso tenha um amigo que faça uso de esteróides anabolizantes?
O aspecto mais importante para diminuir o uso de esteróides anabolizantes é a educação sobre seus efeitos adversos perigosos. Atletas devem entender que podem ter sucesso no esporte sem o uso de esteróides anabolizantes. Eles devem se concentrar em ter uma dieta apropriada, descanso, e boa saúde geral emocional e física. Milhares de pessoas foram bem sucedidas no esporte e obtiveram boa aparência sem o uso de esteróides anabolizantes.Fonte: http://www.saudeesportiva.com.br

Capacidades Físicas

Publicado  sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014


Capacidades Físicas
    Aqui vai uma forcinha para aqueles que estão com dificuldades em saber (ou relembrar) quais são e o que são as capacidades físicas.
    Capacidades físicas são todos os atributos treináveis no nosso organismo. Ou seja, são todas as qualidades físicas que podemos melhorar através do treinamento e que estão presentes em todas as atividades físicas e cotidianas que realizamos. As capacidades físicas básicas são: agilidade, flexibilidade, força, resistência e velocidade. São estas cinco capacidades que estarão presentes durante todos nossas vivências nas aulas de educação física.

    Aqui está um resumo dos cinco conceitos:


Força: é a capacidade de vencer uma resistência por meio das ações musculares; 
     












Agilidade: é a capacidade de executar movimentos rápidos com mudança de direção. Por exemplo, as fintas nos esportes coletivos e as coreografias na dança;












Flexibilidade: é a capacidade de realizar movimentos com amplitude adequada, como, por exemplo, nos alongamentos;






Resistência: é a capacidade de permanecer o maior tempo possível numa atividade sem fadiga, como, por exemplo, correr grandes distâncias;







Velocidade: é a capacidade de executar movimentos no menor tempo possível, como, uma corrida de curta distância em alta velocidade.




    Para ter mais informações sobre as capacidades físicas (porque o que tem aqui é pouco para fazer um trabalho sobre elas), pesquise em outros sites, como os que seguem abaixo:





    E para ter certeza de que você aprendeu tudo sobre as capacidades físicas acesse o link abaixo e faça a atividade proposta.

Frequência Cardíaca

Publicado  quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Frequência Cardíaca


 (Cardiologista)
A frequência cardíaca é a quantidade de vezes que o coração bate por minuto e, por isso, ela é considerada um bom indicador do trabalho cardíaco.
Monitorar a frequência cardíaca durante o treino ajuda a melhorar o condicionamento físico, pois  indica a intensidade adequada de exercícios que o indivíduo deve seguir para alcançar melhores resultados.

Como medir a frequência cardíaca

Para medir a frequência cardíaca pode-se colocar o dedo indicador e médio no pulso esquerdo e contar o número de batimentos cardíacos durante 15 segundos e então multiplicar o resultado por 4 para saber quantos batimentos cardíacos há por minuto. No entanto, a forma mais segura de verificar a frequência cardíaca é utilizar um pequeno aparelho chamado frequencímetro ou um monitor de frequência cardíaca.

Frequência cardíaca normal

A frequência cardíaca normal varia conforme a idade e o tipo de atividade que o indivíduo faz diariamente, mas pode ser verificada realizando o seguinte cálculo matemático: 220 menos a idade (para homens) e 226 menos a idade (para mulheres).
Um adulto jovem pode ter uma frequência cardíaca normal de 90 e um atleta pode ter uma frequência cardíaca normal de 55bpm, e isto também está relacionado ao condicionamento físico que o indivíduo possui. O importante é saber que a frequência cardíaca normal de um indivíduo, pode ser diferente de outro e isto pode não representar nenhum problema de saúde.

Frequência cardíaca máxima

A frequência cardíaca máxima é a quantidade máxima de batimentos cardíacos que o indivíduo poderá alcançar por minuto durante uma atividade física. Aconselha-se que durante qualquer atividade física aeróbica, o indivíduo esteja sempre atento a sua frequência cardíaca.

Frequência cardíaca para emagrecer

A frequência cardíaca ideal para emagrecer deve variar entre 60 a 75 % da frequência cardíaca normal para que haja uma queima de gordura satisfatória. É importante informar que antes de iniciar qualquer tipo de treino para emagrecer, deve-se consultar um médico para que este solicite um eletrocardiograma com o objetivo de  verificar se o indivíduo é portador de alguma doença cardíaca. Treinar com a frequência cardíaca muito alta é contraindicado para quem sofre de arritmia.

Bulimia

Publicado  quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Transtornos Alimentares


Como evitar os transtornos alimentares?


Bulimia



A bulimia nervosa, habitualmente denominada de bulimia, é um transtorno alimentar marcado por episódios de voracidade seguidos de purgas. Durante um episódio de voracidade, um bulímico ingere uma grande quantidade de comida de uma só vez, mas depois purga-a, quer induzindo vômitos, quer tomando um laxante ou diurético. Para os bulímicos, comer compulsivamente e purgar constitui um ciclo, mas eles podem não ganhar ou perder peso suficiente para que se torne óbvio que padecem de um transtorno alimentar. Danos no tracto digestivo, boca, dentes e glândulas salivares são comuns entre bulímicos e o ciclo “alimentação compulsiva – purga” constante significa que os bulímicos raramente retêm vitaminas e minerais suficientes para se manterem saudáveis. Estes factores podem ter efeitos prejudiciais sérios e prolongados na saúde.


Sinais de Bulimia


Apesar de a bulimia estar na maioria das vezes associada a uma fraca auto-estima e fraca auto-confiança, são os comportamentos dos bulímicos que denunciam o seu transtorno alimentar ao exterior. A bulimia é um transtorno alimentar que se manifesta através de uma alimentação compulsiva seguida de purga, e estes comportamentos são os sinais característicos  deste transtorno. Muitos bulímicos têm também comportamentos que se tornam sinais de aviso, tais como:

● Esconder a comida reservada para episódios de voracidade (incluindo frequentemente pão, massa, doces, sobremesas, batatas fritas e gelados. No entanto, qualquer tipo de comida pode ser consumida durante a ingestão compulsiva);

● Mentir sobre o que comeram;

● Comer compulsivamente em segredo; 

● Vomitar em segredo;

● Esconder artigos como laxantes ou diuréticos; 

● Deixar a água da torneira ou do duche a correr na casa de banho para disfarçar os episódios de purgação; 

● Demonstrar uma preocupação profunda em relação ao peso, forma do corpo e aspecto em geral;

● Queixas frequentes em relação a dores de garganta (causadas pelos repetidos vómitos);

● Queixas frequentes em relação a problemas dentários (também causados pelos vómitos);

● Esconder-se atrás de roupas largas e soltas;

● Demonstrar pouco ou nenhum impulso sexual. 


Diagnóstico de Bulimia

Apesar de a bulimia ser um transtorno alimentar e, como tal, devastar a saúde física, é diagnosticada de acordo com critérios de saúde mental. 


Obter Ajuda e Tratamento


Não existe uma cura única e reconhecida para a bulimia mas há uma variedade de opções de tratamento. Cada bulímico trabalha com profissionais de saúde mental para conceber uma fusão de tratamentos que se adequem a todos os seus comportamentos e preocupações. 

Anorexia

Publicado  terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Transtornos Alimentares

Como evitar os transtornos alimentares?

Anorexia



A anorexia nervosa, também simplesmente conhecida como anorexia, é um transtorno alimentar que provoca no indivíduo tanto medo de ganhar peso e/ou gordura corporal que ele(a) limitará severamente a quantidade de comida que ingere. Por vezes, os anoréxicos também fazem exercício em excesso, numa tentativa de queimar as calorias que ingeriram, para não ganharem peso extra. Mesmo quando se desgastam fisicamente, e os outros os acham doentiamente magros, os anoréxicos ainda acham que os seus corpos são muito pesados e continuam a comer tão pouco quanto possível. Infelizmente, sem nutrientes suficientes para os alimentar, os órgãos internos de um anoréxico podem falhar, podendo daí resultar a morte.


Sinais de Anorexia

Raramente um anoréxico reconhece o seu transtorno alimentar e procura ajuda, portanto cabe muitas vezes a familiares e amigos que suspeitam de anorexia nervosa procurar ajuda de profissionais. Muitos dos sinais que indicam anorexia incluem:

● Contagem obsessiva de calorias;

● Saltar refeições;

● Brincar com a comida no prato em vez de comer;

● Esconder comida (num guardanapo, debaixo de uma travessa, etc.) para evitar comê-la;

● Mentir quanto a já ter comido, numa tentativa de evitar uma refeição;

● Ingerir apenas um determinado tipo de comida;

● Fazer exercício em excesso, particularmente depois de uma refeição, ou “para abrir o apetite”;

● Perda dramática de peso;

● Excessivo interesse em questões relacionadas com peso, imagem corporal e jejum;

● Vestir (para esconder o corpo) roupa larga ou disforme;

● Baixos níveis de energia;

● Doenças frequentes;

● Sono excessivo;

● Reduzido ou inexistente apetite sexual.

Diagnóstico da Anorexia
Um diagnóstico de anorexia só pode ser feito por um médico qualificado, habitualmente um psiquiatra. Para diagnosticar anorexia têm de surgir quatro critérios de diagnóstico. 

Obter Ajuda e Tratamento
Anoréxicos gravemente afetados ao nível do físico podem precisar de ser tratados num hospital residencial ou clínica e voltar a ganhar força antes de efetivamente iniciarem o tratamento do seu transtorno alimentar. 


Transtornos Alimentares

Publicado  segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Transtornos Alimentares



Como evitar os transtornos alimentares?

O que são transtornos alimentares?

Os transtornos alimentares prevalecem sobretudo entre raparigas adolescentes e jovens adultas, mas cerca de 5 a 10% dos casos ocorrem com rapazes. As vítimas sentem-se normalmente impotentes em relação às suas vidas, sofrem de baixa auto-estima e têm uma fraca imagem do seu corpo. Usam a comida – seja a restrição da comida ao ponto de passarem fome, o ou excesso de comida ao ponto de ficarem obesos –, como forma de ganhar controlo sobre alguns aspectos das suas vidas.

Algumas formas comuns de transtorno alimentar: a Anorexia Nervosa é uma condição em que as pessoas restringem a ingestão de comida, às vezes para valores tão baixos como 300 calorias por dia; a Bulimia Nervosa caracteriza-se por períodos de indulgência em grandes quantidades de comida para depois vomitar ou usar laxantes para eliminar a comida do corpo; o Transtorno de Compulsão Alimentar e excesso compulsivo de alimentação ocorre quando as pessoas comem em demasia mas não purgam a comida e ganham peso em excesso e a Ortorexia é a obsessão doentia por alimentação saudável, o que em excesso e não regulado pode ser prejudicial. Qualquer um destes transtornos alimentares tem consequências nutricionais muito graves e um forte impacto na saúde dos indivíduos.


Postura corporal

Publicado  quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

A importância da Postura corporal adequada

Se você já chegou ao final do dia sentindo fortes dores nas costas ou ombros como se tivesse passado por uma daquelas máquinas de fazer massa de macarrão... hummm! Sentimos em  informar que você pode, em breve, apresentar um problema de coluna que, certamente, causará muito mais dores e desconforto.
Foi pensando nisso, que as alunas do curso de  Fisioterapia das Faculdades Pitágoras (FIPMOC), decidiram nos fazer uma visita no Unimax  para ministrar uma pequena palestra para nossos alunos sobre a postura ideal ao se sentar, levantar objetos pesados e, principalmente, carregar a mochila e o material escolar.
Com explicações  claras, precisas e demonstrações  em vídeos e práticas, as universitárias transmitiram numa linguagem bem acessível  como cada um pode corrigir e melhorar a postura corporal e, em pouco tempo, obter resultados positivos.
Gostaríamos de agradecer e parabenizar a iniciativa das alunas FIPMOC,  que nos trouxeram tantas  informações valiosas, contribuindo para o nosso bem estar e evitando que problemas  posturais  prejudiquem o bom desempenho de  nossas atividades diárias.
Veja  algumas atitudes que você também poderá adotar para melhorar sua postura.



Share on facebookShare on twitterShare on orShare on email